Canaã dos Carajás reduziu em 92% ocorrências de incêndio

0
125
Vale foi uma das parceiras que receberam certificado de honra ao mérito pelo apoio ao ICMBio

​Em 2017, mais de 10 mil hectares do recém-criado Parque Nacional dos Campos Ferruginosos (Parna) foi atingido por incêndio. Para impedir uma nova ocorrência deste porte e ampliar a prevenção, um grupo de trabalho de Combate à Incêndios foi montado em Canaã. Entre os resultados, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE), em 2018, foram detectados 383 focos de incêndios, uma redução de 92% comparado ao ano passado, quando 4.599 focos foram registrados.

Segundo o chefe do Parna, Manoel Delvo, esse indicativo de incêndios registrados em 2017 não foi apenas uma situação de Canaã, mas do Brasil. “O clima contribuiu efetivamente para quantidade incêndios e de focos que nós tivemos”. Para 2018, foi iniciado um planejamento baseado na prevenção e foi formado um Grupo de Trabalho.

O grupo conta com a participação da Prefeitura Municipal, Ministério Público, ICMBio, Corpo de Bombeiros, Vale, Agência de Canaã, Comitê de Educação Ambiental, brigadistas, agricultores e outros. Ontem, durante evento para apresentação dos resultados, o ICMBIO entregou aos parceiros, certificados de honra ao mérito pelo apoio ao órgão na prevenção e proteção do Parna contra os incêndios.

A Vale apresentou as ações executadas em apoio ao ICMBio nas unidades de conservação: Parna e Floresta Nacional de Carajás. Entre as medidas de prevenção, foram realizadas a construção e manutenção de 97,7 km de aceiros (uma faixa livre de vegetação, onde o solo fica descoberto e que contribui para que o fogo não se alastre), a formação dos brigadistas da comunidade Nova Jerusalém, a doação de equipamentos e campanhas de educação ambiental. Além do monitoramento terrestre e aéreo da área do Parna.

As ações de combate na região do Parna envolveram apenas três ocorrências: duas na Vila Nova Jerusalém, que faz limite com o Parque e apenas uma no Parna, em um total de 29,9 hectares. Ao todo em 2018, foram 165 horas de atuação dos bombeiros, contra 15.348 horas registradas no ano passado.

Os resultados também foram alcançados por meio da conscientização dos agricultores, com a redução das queimadas. “A gente via todos os anos essa situação de fogo aqui no município, onde as matas eram queimadas, e foi feito um trabalho muito bonito de todos, os brigadistas e os agricultores que tiveram maior consciência também”, diz a presidente da associação agrícola da Vila Nova Jerusalém, Francisca Alves.

A criação da brigada de Canaã também foi decisiva para os resultados. A brigada atuou na zona urbana, rural e também no Parque Municipal Veredas. Foram 289 ocorrências atendidas através do Disque denúncia muito difundido no período de estiagem.

O chefe do Parna, Manoel destacou a importância da atuação em conjunto.  “Gostaria de agradecer a todos que tiveram uma vontade social de ajudar, todos saíram a campo, parabéns a todos, inclusive aos agricultores que entenderam a necessidade de controlar e vencer o estigma de que Canaã é um município que queima muito”.

Além de proteger o meio ambiente, as ações de prevenção dos incêndios florestais realizada em Canaã favorece a saúde evitando, por exemplo, a geração de fumaça, que agrava problemas respiratórios. Também ajuda o município a atender aos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), como o objetivo 15, que trata de proteger a vida terrestre.

Fonte: ASCOM/VALE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here