VENCEDORA DO TROFÉU GRÃO | PRETAHUB: inventividades e criatividades pretas

0
117

Há 18 anos, Adriana Barbosa criou a Feira Preta para estimular o empreendedorismo entre a população negra nacional. O festival evoluiu para a PretaHub, uma plataforma com 200 mil participantes; 700 expositores; 2 mil negócios impactados no AfroLab e AfroHub, sendo que 89% obtiveram aumento no faturamento. As ações da plataforma já estão em 13 Estados. A empreendedora social conquistou o Troféu Grão, que integra o Prêmio Empreendedor Social 2019.

Abundância cultural e criativa como resposta para um contexto de escassez financeira. Esse pode ser um resumo da motivação da PretaHub, uma plataforma de inventividades e criatividades pretas, criada há 18 anos por Adriana Barbosa – considerada um dos 51 negros mais influentes do mundo pela Most Influential People of African Descent. A iniciativa desenvolve o maior festival de cultura e empreendedorismo voltado a afrodescendentes da América Latina. A Feira Preta surgiu em 2002 pelas mãos dessa jovem mulher negra, oriunda de uma família matriarcal e inovadora. A ideia central era transformar o ecossistema de negócios, tornando-o propício à inclusão de empreendedores negros.

Graduada em gestão de eventos com especialização em gestão cultural pelo Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação (CELACC) da ECA-USP, Adriana Barbosa percebeu que, enquanto a economia brasileira se desenvolvia, também se desenvolvia o poder do Black Money – dinheiro produzido por negros e negras e que circula entre negros e negras. “Apostei em uma ideia bastante óbvia, mas que ainda não tinha sido devidamente trabalhada: um empreendimento econômico-cultural com caráter étnico”, afirma a empreendedora social. Hoje, a Feira Preta – principal iniciativa da PretaHub –, é o centro de tendências afrocontemporâneas do mercado e das artes, além de ser o espaço para valorizar iniciativas afro-empreendedoras de diversos segmentos.

Entre os planos futuros, Adriana deseja que a PretaHub se torne referência mundial em inclusão econômica por meio do empreendedorismo da população negra. “Queremos interação global, começando pela América Latina. Para isso, precisamos olhar o que está acontecendo na Colômbia, segunda maior população negra das Américas. Países africanos de língua portuguesa também são um desejo. Queremos provocar o intercâmbio de boas práticas”, diz Adriana, acrescentando que para ampliar o alcance, o Hub deve transformar a marca Feira Preta em licenciamento de produtos de grandes empresas. A empreendedora social conquistou o Troféu Grão, que integra o Prêmio Empreendedor Social 2019.

SOBRE O PRÊMIO EMPREENDEDOR SOCIAL | Pioneiro e comprometido em identificar inovações sociais e ambientais brasileiras, o concurso que envolve as categorias Prêmio Empreendedor Social e PrêmioEmpreendedor Social de Futuro já reconheceu 112 gestores – entre finalistas e vencedores –, conferindo chancela e visibilidade internacional para líderes de iniciativas de impacto social que estão mudando a forma de fazer negócios no Brasil. A premiação é o passaporte para entrar na Rede Schwab e participar de encontros do Fórum Econômico Mundial; os ganhadores e finalistas têm acesso, também, a premiações que totalizam R$ 400 mil em mentorias, capacitações e cursos de qualificação em instituições renomadas, como Insper e Fundação Dom Cabral.

O maior concurso de empreendedorismo socioambiental da América Latina e um dos mais relevantes do mundo, contou com sete finalistas na edição 2019. Na categoria principal, estão Alcione Albanesi (Amigos do Bem), Guilherme Brammer Junior (Boomera) e Thomaz Srougi (Dr. Consulta); na categoria Empreendedor Social de Futuro, os finalistas são Diogo Tolezano (Pluvi.On) e Gustavo Glasser (Carambola); no Troféu Grão, dedicado a causas, a final será disputada por Adriana Barbosa (Preta Hub) e Laís Higashi (Litro de Luz).

SOBRE A PREMIAÇÃO | Criado em 2005 pela Folha de S.Paulo e Fundação Schwab, o Prêmio Empreendedor Social é destinado a gestores de iniciativas com mais de três anos de atuação em setores como saúde, educação, tecnologia assistiva e meio ambiente, entre outros. As iniciativas de negócios de impacto social e startups com foco socioambiental – que estão em fase inicial (de um a três anos) – podem se inscrever para o Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro, destinado a empreendedores com até 35 anos. Além da projeção nacional e internacionalmente dos líderes selecionados, a Folha de S.Paulo e a Fundação Schwab – correalizadora do Fórum Econômico Mundial de Davos e idealizadora da premiação no mundo – oferecem um alto nível de qualificação e networking, viabilizando aos premiados a conquista de maiores e melhores indicadores em sustentabilidade, impacto social direto e indireto, influência em políticas públicas e escalabilidade para seus projetos.

O Prêmio Empreendedor Social tem patrocínio de Coca-Cola, IEL, uma iniciativa da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Fundação Banco do Brasil e Cervejaria Ambev. Conta com apoio do Instituto Porto Seguro. British Council, Faap, Fundação Dom Cabral; Insper e UOL são parceiros estratégicos.

Assessoria

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here