Scania prevê início das vendas de ônibus movido a GNV para segundo semestre de 2020

0
174

Para o novo gerente de Vendas de Ônibus da Scania no Brasil, Fábio D´Angelo, a fabricante está vivenciando a mudança no transporte de passageiros para o ecossistema da mobilidade ideal: veículos elétricos. “É o futuro, certamente. Mas antes devemos passar pela tecnologia a gás e biometano. Na Europa foi e está sendo assim. Ainda não há viabilidade econômica do ônibus elétrico no Brasil”, afirma o executivo.

A Scania segue firme no processo de homologação do ônibus GNV e/ou biometano no Brasil, o que depende de três fases: do chassi, da carroceria e do sistema de abastecimento do gás.


A etapa do chassi foi finalizada.

“Acreditamos que o processo completo esteja aprovado neste primeiro semestre. Enquanto isso, seguimos preparando a linha de produção e fazendo os investimentos necessários na fábrica de São Bernardo do Campo. Prevemos que as vendas comecem no segundo semestre de 2020. Teremos opções urbanas e rodoviárias”, revela D’Angelo.

O gerente afirma que com dezenas de demonstrações feitas desde 2014, já foi comprovada a viabilidade na comparação ao diesel. “Levando em conta os atuais preços praticados dos dois combustíveis, a redução do custo por quilômetro rodado pode ser de até 20%”, conta Fábio D´Angelo. “As consultas não param, e temos certeza do potencial de vendas e da cadeia sustentável que está sendo criada. Os operadores urbanos, de linhas rodoviárias e os órgãos gestores buscam uma alternativa viável ao diesel. Eles estão abertos a conhecer, e estamos dispostos a apresentar”, completa.

Diário do Transporte