Manejo sustentável autorizado pelo Ibama em 2019 totalizou 39 mil hectares

0
161

O Ibama autorizou produção madeireira sustentável em 39,9 mil hectares no ano de 2019. Como resultado desse trabalho, foram produzidos 722,25 mil metros cúbicos de madeira nativa. O volume médio de madeira extraído dos planos de manejo corresponde a 18 metros cúbicos por hectare, o equivalente a 3 árvores para cada 10 mil m².

A área total em regime de manejo florestal sustentável aprovada pelo Instituto, incluindo locais que foram ou serão autorizados e terrenos em pousio, é de 1,4 milhão de hectares.

A maioria dos planos de manejo acompanhados pelo Ibama estão localizados em Florestas Nacionais (Flonas), tipo de Unidade de Conservação (UC) em que o uso dos recursos naturais é permitido, em regime de concessão florestal.

Recentemente, foram incluídas no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) concessões florestais nas Flonas de Humaitá, Iquiri e Castanho, todas no Amazonas. As três serão analisadas futuramente pelo Ibama.

O manejo florestal sustentável é uma atividade que permite acesso a recursos da floresta sem comprometer a capacidade de regeneração do ecossistema. Antes é realizado um inventário florestal de todas as árvores e, durante o ciclo produtivo, são observados critérios para a extração de cada espécie. Alguns espécimes são mantidos para garantir a produção de sementes necessária para a regeneração da área. Cada árvore a ser retirada ou preservada é marcada e cadastrada no Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor).

A implantação de estradas e pátios necessário à atividade é cuidadosamente planejada para reduzir o impacto à floresta. A derrubada das árvores é realizada com técnicas que minimizam efeitos prejudiciais à vegetação periférica.

A marcação das toras permite o rastreamento até o local exato da extração, o que facilita a fiscalização por órgãos ambientais.

Após a conclusão da extração autorizada, a área permanece pelo menos 25 anos sem intervenção para permitir a regeneração natural da floresta.

O Ibama vistoria anualmente as áreas de manejo sustentável e analisa, em diversas etapas de produção, 140 parâmetros (verificadores) que devem ser observados pelas equipes que executam o manejo para minimizar os impactos causados à floresta. Esses verificadores estão descritos no Manual de Vistoria de Campo para Planos de Manejo Florestal Madeireiro na Amazônia (2006), documento guia produzido no âmbito do Projeto ProManejo em conjunto com a Embrapa Amazônia Oriental.

O manejo florestal sustentável é considerado uma das principais alternativas de conservação da floresta amazônica. A capacidade de geração de renda aliada ao aproveitamento de recursos naturais de forma sustentável possibilita gerar benefícios sociais e manter a floresta em pé.

Estima-se que a emissão de carbono causada pelo manejo florestal sustentável da floresta seja 96% menor do que a provocada pelo desmatamento. A ampliação da escala de sistemas de manejo sustentável de florestas nativas é um compromisso assumido pelo país via Contribuição Nacionalmente Determinada (iNDC) na Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima.

Assessoria

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here