Projeto do IFRO lança site para ajudar comunidade indígena

0
98

O Campus Ji-Paraná, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), realizou seleção interna através de edital com o objetivo de custear propostas de projetos integrados de ensino, pesquisa e extensão. Os trabalhos apresentados buscaram intensificar o contato entre pesquisadores qualificados para orientação de iniciantes à pesquisa por meio de intercâmbios institucionais. Dentre os cinco trabalhos escolhidos, “A arte das mulheres Gavião: criação de site para divulgação da Associação Indígena Zavijdaj Djiguhr” lançou o site com o objetivo de divulgar as atividades, a história e também servir como um instrumento para diminuir o preconceito da sociedade não indígena.

A coordenadora do projeto, Lediane Fani Felzke, explica que já atua há bastante tempo com povos indígenas do estado de Rondônia. Segundo ela, o site é um instrumento importante para divulgação do Povo Gavião, da sua cultura e dos aspectos econômicos. “Inicialmente a ideia era valorizar e divulgar o artesanato das mulheres indígenas. Mas a gente percebeu que o artesanato não está isolado das outras atividades da aldeia. Hoje, o site comporta além do artesanato da mulher gavião, os outros projetos do povo gavião, a coleta da castanha, comporta também as festas, histórias, mitos, a simbologia”, ressaltou a coordenadora.

O site também fortalece a comunicação da aldeia com a comunidade em geral, e principalmente neste período de pandemia, proporciona a possibilidade de doação para ajudar a comunidade indígena a adquirir produtos industrializados e produtos de higiene e limpeza. “Da mesma forma, o povo Gavião tem contribuído com a sociedade e semana passada eles doaram cerca de 600 kg de alimentos para a Semas (Secretaria Municipal de Assistência Social). E esses alimentos de suas roças como cará, mandioca, abobora, banana, foram diretamente para as mesas das famílias mais vulneráveis daqui do Município”, disse Lediane.

A co-orientadora e Diretora-Geral do Campus Ji-Paraná, Letícia Pivetta, relatou que o lançamento do site (link http://assiza.org.br/) através do projeto integrador contribui para a divulgação da história, da cultura e das atividades desenvolvidas na aldeia. “Foi um projeto muito importante porque permitiu uma experiência prática para os nossos alunos e também comprovou que o IFRO, além de ter uma excelência no ensino, também é capaz de realizar projetos de extensão beneficiando diretamente a população aqui de Ji-Paraná e da nossa região”, concluiu.

A Associação Indígena Zavidjaj Djigúhr é responsável pela intermediação do comércio da castanha da Amazônia (Bertolethia excelsa) coletada pela comunidade e que constitui sua principal fonte de renda. “O objetivo desse site é divulgar os artefatos produzidos nas aldeias, em especial a arte elaborada pelas mulheres, e desse modo, proporcionar um meio de garantir geração de renda e autonomia para o povo, em especial, para as mulheres”, explicou o também co-orientador, João Eujácio Teixeira Junior.

A Matilde é liderança e coordenadora da ASSIZA (Associação Indígena Zavidjahj Diguhr). “Hoje estamos aqui no IFRO recebendo o site da assiza. Para nós é uma felicidade muito grande, é histórico. Vai ser utilizado para falar da existência do Gavião E Ikólóéhj, as histórias sobre os mitos em todos os trabalhos que o Gaviões vem fazendo. As atividades culturais suas atividades da roça, da produção, das festas, dos esportes”, afirmou a líder.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here