Da Chapada Diamantina para o Brasil e mundo: óleo essencial da árvore Jurema Branca

0
17

Flora brasileira terá produção de espécies nativas estimulada pela Laszlo Aromatologia

O Brasil possui a maior diversidade plantas aromáticas no mundo. Dessas plantas podem ser extraídas substâncias poderosas, os óleos essenciais com benefícios comprovados pela ciência, para a saúde e bem estar. A Laszlo, empresa que detém o maior número de óleos essenciais da flora Brasileira, anuncia o lançamento de um produto exclusivo no Brasil e no mundo: óleo essencial de jurema-branca (Mimosa Verrucosa Benth), fruto de um trabalho de apoio e incentivo à destilação de plantas nativas na Chapada Diamantina (BA), que vem trazendo como resultado óleos essenciais de espécies destiladas pela primeira vez no mundo. A planta possui importante ação antioxidante, antisséptica, imunoestimulante, anti-inflamatória,Ansiolítica e relaxante.

A marca é a que mais aposta em plantas brasileiras e já tem no seu mix óleos essenciais de plantas como Guabiroba, Sucupira, Preciosa e Macapá. Segundo o CEO do Grupo Laszlo, Fábián László, sempre houve um grande interesse em estimular a produção de plantas com pequenos produtores locais e de compreender as melhores possibilidades de transformar espécies nativas em óleo essencial, sempre de forma sustentável e cuidadosa, gerando renda para os pequenos produtores. Hoje, cerca de 85% dos óleos consumidos no páis são de fora. “Há uma grande dependência brasileira de produtos de outros países, quando temos aqui um verdadeiro tesouro”, avalia. Um estudo em pelo menos 15 cidades brasileiras está em andamento, com o propósito de fazer pontes entre os pequenos produtores e o mercado.

Óleo Essencial de Jurema Branca

A Jurema Branca é uma árvore comum em áreas antropizadas e de caatinga, principalmente nas regiões do nordeste, centro-oeste e sudeste. No tupi-guarani, a palavra jurema (Yu-r-ema) – uma junção dos termos “ju” (espinho) mais “rema” (cheiro ruim) – pode ser traduzida para o português como “espinho de cheiro ruim”. Na verdade, existem uma série de espécies botânicas, popularmente conhecidas por este nome: jurema-mansa, jurema-branca, jurema-de-caboclo, jurema-de-espinho, jurema-preta, jurema-das-matas, jureminha, jurema-de-embira e jurema-de-imbirra.

As juremas (preta e branca, principalmente) possuem na composição de suas cascas e raízes, um dos mais potentes ecodélicos, a dimetiltriptamina (DMT), substância também produzida pelo corpo humano em situações de nascimento, morte, quase-morte, contatos místicos espontâneos, profecias e sonhos, necessária ao funcionamento normal do corpo humano. Ecodélico é aquilo que nos permite receber a mensagem do todo, ou manifestar a mente de Gaia (mãe terra). O termo se refere a uma categoria de substâncias psicoativas capazes de nos permitir iniciar num processo de transcendência do ego, estado no qual nos percebemos como parte de uma complexa teia de relacionamentos que inclui não apenas cada um de nós, mas todas as outras espécies neste planeta e, em última instância, o cosmos.

Diferente do que a palavra Yu-r-ema, significa, o óleo essencial da jurema não tem cheiro ruim, lembrando, na verdade, o aroma da mata, o cheiro intrínseco da deusa jurema. Dentro de uma perspectiva sutil, este é um óleo que contribui para a reconexão do ser humano com sua essência original.`

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here