Diretor da CVC convida gestores a divulgarem atrações turísticas e a adotarem protocolos com setor privado

0
70

A união entre a gestão pública e a iniciativa privada irá contribuir para a retomada das atividades turísticas e a descoberta de novos destinos no Brasil após a pandemia do novo coronavírus. Essa é a expectativa do diretor de Produto Terrestre Nacional da CVC, Claiton Armelin, que participou da live da Hora do Turismo desta quinta-feira, 2 de julho, com a equipe técnica da Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Em mais de uma hora de bate-papo, eles listaram os desafios impostos pela Covid-19 e chamaram atenção para estratégias que podem ser adotadas por gestores locais e todo o trade turístico até o retorno. Ao elogiar a campanha Municípios juntos pelo Turismo – pela qual a CNM recebe e divulga vídeos promocionais das cidades -, Armelin pediu para que os gestores também compartilhem as imagens com ele pelo e-mail claiton@cvccorp.com.br e pelo instagram @claitonarmelin.

A solicitação logo repercutiu com vários comentários dos espectadores que acompanhavam a transmissão ao vivo. “Passem esses filmes para a gente. Temos metas de novos destinos e programações, buscamos oportunidades. As pessoas querem viver experiências diferentes e talvez seu Município seja o próximo a ser explorado pela CVC Corp. Quantos destinos já consagramos com o trade local?”, provocou o diretor.

Estratégias durante e pós-pandemia
Antes, ele havia sido questionado pelas técnicas de Turismo da Confederação, Mônica Cardoso e Marta Feitosa, e pelo consultor Mário Nascimento sobre as ações que devem ser realizadas considerando que o vírus ainda não está sob controle. “É importante conversamos sobre o cenário local atual. É a oportunidade para o Município se requalificar e construir posicionamento diferenciado?”, perguntou Marta.

Armelin confirmou que sim, destacando que a retomada deve ocorrer, primeiro, com o turismo doméstico e regional. Segundo ele, como as pessoas ainda estão inseguras para pegar avião e percorrer distâncias maiores, a demanda será por viagens curtas e destinos próximos. “É a oportunidade para pequenas cidades se readequarem, criarem novas atrações. Hoje o cliente é muito importante, gosta de ser bem tratado. Enalteço o trabalho do Sebrae para qualificação”, recomendou.

Protocolos

Sobre os diversos atores da cadeia do turismo local, ele destacou o papel dos hotéis e dos receptivos, que precisam se adequar às medidas de segurança e de distanciamento social. “Dos seis mil hotéis que a CVC trabalha no Brasil, só 1.800 estarão abertos em julho. Mas, com os protocolos do Ministério do Turismo e dos próprios hotéis, os turistas vão ganhando confiança. Os guias têm um trabalho importantíssimo e também precisam de protocolos”, defendeu.

Na mesma linha das lives anteriores, os representantes da Confederação listaram um conjunto de incentivos que a entidade e o governo federal estão dando ao setor, como orientações técnicas e linhas de financiamento.

“O papel do gestor local é construir estratégias que divulguem o Município e usar canal de interlocução com o empresariado, que é o Conselho Municipal de turismo. Lembramos que sete categorias do Cadastur estão contempladas pelo Selo [Turista Protegido] do Ministério do Turismo”. disse Marta Feitosa. “Temos oportunidade e precisamos trabalhar para que o setor se torne a grande alternativa econômica que vai gerar renda e emprego”, finalizou Mário Nascimento.

Por Amanda Maia
Agência CNM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here