IBGE atualiza manual de aplicativo web gratuito para usuários de GPS

0
89

O IBGE lança hoje (16) nova edição do manual do serviço online de Posicionamento por Ponto Preciso (PPP), um aplicativo web gratuito que fornece coordenadas de latitude, longitude e altitude de qualquer ponto do planeta. O app web processa dados gerados em equipamentos que coletam sinais de sistemas de navegação por satélite, como o GPS topográfico e geodésico – utilizados por profissionais de engenharia e agrimensura. Todas as coordenadas indicadas pelo app estão de acordo com o Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas (SIRGAS2000), oficialmente adotado no país.

manual passou a contar com um capítulo sobre estatísticas de uso do aplicativo. Ele mostra, por exemplo, que o serviço já realizou mais de dois milhões de processamentos de cerca de 60 mil usuários no Brasil e no exterior desde 2009, ano de seu lançamento. A nova edição traz também uma visão geral sobre o perfil dos usuários quanto ao tipo de equipamento utilizado no levantamento, ao modo de processamento (estático ou cinemático) e ao tempo de coleta dos dados.

Na avaliação do diretor de Geociências do IBGE, João Bosco, da mesma forma que o Instituto coordena o Sistema Estatístico Nacional, também é responsável pela gestão do Sistema Geodésico Brasileiro, segundo o disposto em Decreto-Lei de 1967. “Nosso desafio é justamente acompanhar a evolução tecnológica para atender as demandas da sociedade. A constante atualização de nossas ferramentas demonstra nosso comprometimento”, acrescenta.

“A praticidade, a precisão milimétrica e a gratuidade são as principais vantagens do sistema”, afirma a gerente de Geodésia do IBGE, Sonia Maria Alves da Costa, que lembra que o Brasil é o único país da América Latina a oferecer gratuitamente este tipo de serviço de georreferenciamento. As ferramentas disponibilizadas no portal do Instituto, segundo Sonia, são importantes e necessárias para obras de infraestrutura, ordenamento territorial e demarcação de imóveis rurais, entre outras atividades no âmbito da engenharia.

O serviço também demonstrou sua relevância após o rompimento da barragem de Brumadinho (MG), em janeiro de 2019. “Acreditamos que nosso serviço foi útil no dimensionamento da tragédia e até no resgate de vítimas”, comenta o supervisor de Processamento GNSS do IBGE, Alberto Luís da Silva.

Equipamentos de georreferenciamento, como o GPS, estão espalhados por todo o território nacional – Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias

Equipamentos compatíveis e modo de usar

Atualmente existem três categorias de equipamentos GPS em uso: o recreacional (ou navegador), o topográfico e o geodésico. Para os dois últimos, é necessário processar as informações obtidas antes de usá-las. Para que o tratamento seja feito sem custo através do sistema oferecido pelo IBGE, é necessário apenas o envio de poucas informações, como os dados GPS ou GNSS (preferencialmente comprimidos, para reduzir o tempo de recebimento das informações pelo sistema) e o tipo e valor da altura da antena utilizada no levantamento.

Os resultados são enviados em poucos minutos após a submissão dos dados, através do e-mail fornecido pelo usuário. O software para processamento das coordenadas está acessível no link www.ppp.ibge.gov.br.

O mapa abaixo apresenta em vermelho a localização de cada ponto processado entre abril de 2009 e agosto de 2020. Nas regiões Sul e Sudeste do país, a cobertura de pontos é densa, evidenciando a grande procura do serviço nas atividades de georreferenciamento.

Cada ponto vermelho representa uma consulta de coordenada processada pelo app web

A primeira versão do aplicativo foi disponibilizada ao público em abril de 2009. O sistema faz uso do aplicativo de processamento CSRS-PPP, desenvolvido pela Divisão de Geodésia do NRCan (Natural Resources of Canada). A licença de uso do sistema foi oferecida ao IBGE para uso em território nacional, através do Projeto de Infraestrutura Geoespacial Nacional (PIGN), fruto da cooperação entre o Instituto e a Universidade de New Brunswick, no Canadá, apoiado pela Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional (CIDA) e pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

O que é o Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas (SIRGAS)

Em 25 de fevereiro de 2005, o Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas (SIRGAS2000), compatível com o GPS, foi oficialmente adotado como a nova referência para o Sistema Geodésico Brasileiro (SGB) e para o Sistema Cartográfico Nacional (SCN).

Desde 2015, após um período de dez anos de transição, são consideradas oficiais apenas as informações produzidas tendo o SIRGAS2000 como sistema geodésico. Essa decisão foi tomada no âmbito do Projeto Mudança do Referencial Geodésico (PMRG), criado em 2000, coordenado pelo IBGE e constituído por grupos de trabalho com representantes de instituições governamentais e privadas, universidades e usuários que lidam com informações georreferenciadas.

Um sistema geodésico de referência é um sistema coordenado, utilizado para representar características terrestres, sejam elas geométricas ou físicas. Na prática, serve para a obtenção de coordenadas (latitude, longitude e altitude), que possibilitam a representação e localização em mapa de qualquer elemento da superfície do planeta.

A diferença fundamental entre o SIRGAS2000 e os antigos referenciais utilizados no Brasil é que estes são de orientação topocêntrica, ou seja, o ponto de origem e orientação dos sistemas está na superfície da Terra. Já o SIRGAS2000 é de orientação geocêntrica, isto é, toma como origem do referencial um ponto localizado no centro da Terra.

Ao adotar o referencial geocêntrico, é possível fazer uso direto da tecnologia de GPS, ferramenta mais adequada para a atualização de mapas, controle de frota de empresas transportadoras, navegação aérea, marítima e terrestre em tempo real. Entre as coordenadas produzidas pelos antigos referenciais e o SIRGAS2000 existe um deslocamento espacial de dezenas de metros, dependendo do local onde se está.

 

Por Agência IBGE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here