Singapura terá os primeiros taxis voares em atividade em 2023

0
391

O desejo do ser humano de criar asas e voar vem desde os tempos primórdios, tanto que na mitologia grega, uma das fabulas mais conhecidas é o ‘sonho de Ícaro’, que investiu tempo e ideias par criar um jeito de voar. Nos tempos atuais o homem continua sonhando em voar. Só que agora tem recursos tecnológicos diversos para fazer esse sono realidade.

Um desses projetos busca solucionar o problema de mobilidade urbana com a criação do carro voador. Muitos protótipos já estão em testes pelo mundo cm resultados surpreendentes e que sofrem aperfeiçoamentos constantes. Através das tecnologias, o homem vem conquistando o espaço cada vez mais longínquo, mas aqui perto, os problemas são mais complexos.

Os drones prometem ocupar o lugar dos taxis facilitando a vida das pessoas com acessos rápidos, seguros e econômicos, apesar de que essas condições ainda estejam distantes. Os modelos em testes até o momento não são nada econômicos, mas com um ajuste ali e outro acolá, a tendência de encontrar as soluções tendem a acontecer.

A realidade

Nesta semana, a notícia que circula o mundo é de que o ‘carro voador’ pode ser solução dentro de pouco tempo. Acontece que muitos investidores estão apostando na ideia, e buscam aprimorar o projeto ideal para a mobilidade urbana com o objetivo de tornar a mobilidade urbana pelo ar uma das alternativas de transporte para ajudar a reduzir os congestionamentos e a poluição. Dentre os aparelhos em testes já foram noticiados fabricantes como Airbus, Boeing e Embraer que desejam entrar no ramo de fabricação de carros voadores.

Uma dessas empresas que apostam na pesquisa é a VTOL, que anunciou o inicio para 2023, em Singapura, do uso de táxis voadores autônomos. Pelas informações dadas, o departamento de viação civil já teria autorizado os voos. A empolgação para as primeiras viagens aqueceu o mercado e as listas de embarques estão bastante concorridas.

O custo do embarque

A princípio serão sobrevoos turísticos que irão explorar facinantes paisagens de Singapura. Cada passageiro que pretende embarcar no VoloCity vem pagando nada menos que US$ 364, o que equivale a cerca de R$ 1.850 considerando a conversão de hoje.

Autonomia

A novidade atraiu pela possibilidade real, mas a autonomia dos aparelhos ainda deixa a desejar. Os modelos em testes apresentam capacidades de pouco tempo de voo. No caso do VoloCity, a versão disponível do táxi voador ainda é bem compacta e básica, com sistema composto por nove pequenas baterias e 18 motores. Conforme os testes realizados pela fabricante é possível voar 35 quilômetros com uma carga completa a uma velocidade média de 110 km/h.

É claro que não demora e as soluções surgirão dando maior autonomia ao menor custo operacional. Ainda para esta geração, os taxis voadores serão soluções populares para todas as cidades.

 

Por Mundo e Meio