Reserva subterrânea da Amazônia pode abastecer o planeta por 250 anos

0
983

A região da Amazônia é enorme: ela ocupa mais de 60% de todo o território brasileiro. Mas o que pouquíssima gente sabe é que abaixo dela existe uma quantidade gigantesca de água doce. Trata-se de um verdadeiro oceano subterrâneo, com volume total de 162 mil quilômetros cúbicos, e que é chamado pelos cientistas de Sistema Aquífero Grande Amazônia (Saga). Apesar de já ser conhecido há bastante tempo, a magnitude desse sistema só foi percebida pelos pesquisadores em meados de 2013. O professor de Geologia da Universidade do Pará, Francisco Abreu, é um dos cientistas que estudam essa reserva de água. Ele explicou que atualmente o Saga é considerado o maior aquífero do planeta — quatro vezes maior do que o Aquífero Guarani – também no Brasil, e que até então ocupava o posto de maior do mundo.

“Toda essa grandeza, toda essa expressão que a Amazônia tem, ela depende fundamentalmente da disponibilidade de água. E se você pensar no significado dessa água e no significado da Amazônia para o país, para o mundo, aí então você vai entender que essa água é algo extremamente, extremamente importante. Porque é dessa água que depende a vida da Amazônia e, principalmente, que depende a cobertura florestal”, disse Abreu.

Para se ter uma ideia do tamanho do Saga, os pesquisadores afirmam que ele, sozinho, seria capaz de abastecer o planeta inteiro durante 250 anos. São mais de 150 quatrilhões de litros de água doce — uma riqueza de valor incalculável para o mundo. Com uma área total de um milhão e duzentos mil quilômetros quadrados, o aquífero possui 75% de sua extensão em território brasileiro. O professor Abreu destaca que a água do Saga já é utilizada por populações da região amazônica.

“Um grande número de cidades que estão no vale amazônico, elas podem ser abastecidas com a água do Saga. Santarém já faz isso em grande parte, Alter do Chão, Manaus. Várias, várias cidades da Amazônia já utilizam desse recurso para o abastecimento público, para o abastecimento de pessoas. Essa água ela pode ser usada para a indústria. Qualquer produto, qualquer coisa que você pode processar, qualquer coisa que você vai processar, no processo industrial você usa água. Nós podemos usar pra irrigação”, afirmou o professor.

Uma das conclusões mais importantes dos pesquisadores da Universidade Federal do Pará é que o o Saga e a vegetação amazônica dependem um do outro para que ambos possam existir. E é dessa relação entre aquífero e floresta que nascem as chuvas que irrigam quase todo o país, como explica o professor Abreu.

“A Amazônia transfere, para o restante do Brasil, um número aproximado de oito quatrilhões de litros de água por ano pelo spray da atmosfera. É o que sustenta o regime de chuva do Centro-Oeste, do Sudeste. Essa água é o que sustenta, hoje, um dos setores mais dinâmicos da economia brasileira, que é o agronegócio. O agronegócio brasileiro depende fundamentalmente, visceralmente, mortalmente, da água transferida pela Amazônia”, declarou.

Se a água é fundamental para a existência da vida como nós a conhecemos, é possível que ela seja a substância mais valiosa do planeta. Por isso, a existência do Sistema Aquífero Grande Amazônia em nosso país pode ser vista como um verdadeiro privilégio, uma riqueza essencial para o presente e para o futuro da soberania brasileira.

*Produção: Michelle Moreira

Por Agência Brasil