Marajó: Governo Federal e BNDES vão ampliar projeto de desenvolvimento da região

0
303

O Programa Abrace o Marajó tem o objetivo de gerar empregos e promover a melhoria da dignidade, educação e saúde da população local

O “Plano de Ação do Programa Abrace o Marajó 2020-2023” foi a pauta da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, durante duas agendas nesta segunda-feira (25). Ela teve reuniões com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, para discutir formas de ampliar investimentos nos 16 municípios que integram a Ilha do Marajó (PA).

“Posso apresentar este projeto aos empresários que têm se oferecido para ajudar a Amazônia”, disse o vice-presidente na oportunidade.

Para a ministra, o comprometimento com a população é o que move as ações. “Ou a gente faz desenvolvimento regional para enfrentar as violações de direitos, ou a gente faz, não tem opção B. O Programa Abrace o Marajó vem com essa visão”, afirmou.

BNDES

Durante o segundo encontro, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, ressaltou a relevância da parceria entre os órgãos, além do planejamento efetivo.

“Mais importante que o volume é a qualidade. Vamos captar o que realmente vamos usar. Vamos contar também com capital privado e envolver a modernização dos municípios”, destacou.

Pelo MMFDH, também participaram a secretária executiva, Tatiana Alvarenga, e a secretária executiva adjunta, Viviane Petinelli, além do assessor especial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e responsável pelo programa, Henrique Villa

O programa

Criado pelo Governo Federal em março de 2020, o programa tem como objetivo o desenvolvimento socioeconômico dos 16 municípios que compõem a Ilha do Marajó (PA). As ações são uma resposta estratégica para a recuperação da dignidade humana da população marajoara.

O Marajó possui cerca de 550 mil habitantes. É o maior arquipélago flúvio-marítimo do planeta. Formado por cerca de 2.500 ilhas e ilhotas, tem enorme potencial de desenvolvimento e crescimento, mas, convive historicamente com uma realidade de pobreza e exclusão, refletida nos indicadores do IDHM citados anteriormente.

Sob a coordenação do MMFDH, integram o Comitê Gestor do programa os ministérios da Justiça e Segurança Pública, da Defesa, da Economia, da Infraestrutura, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Educação, Cidadania, da Saúde, de Minas e Energia, da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, do Meio Ambiente, do Turismo e do Desenvolvimento Regional e a Controladoria-Geral da União.

Iniciativa do Governo Federal, o Plano de Ação reúne um conjunto de compromissos voltados para a geração de empregos e promoção da melhoria da dignidade, educação e saúde da população local. Acesse o documento.