FAO precisa de US$ 15 mihões para socorrer vítimas da violência em Cabo Delgado

0
534

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, está a dar assistência a 12,5 mil famílias afetadas pela violência em Cabo Delgado.

Até o momento, a agência mobilizou US$ 3,9 milhões para garantir os meios de subsistência a cerca de 100 mil pessoas, mas a FAO precisa de um total de US$ 15 milhões para socorrer os moçambicanos afetados.

Pessoas deslocadas em Cabo Delgado precisam de ajudam humanitária, PMA/Falume Bachir

Sementes

As famílias recebem através de cartões eletrónicos, um crédito de 3.6 mil meticais (equivalente a US$ 48). O valor serve para compra de sementes de cereais e hortícolas, além de instrumentos agrícolas como catanas e enxadas.

Cabo Delgado, no extremo norte de Moçambique, está sendo afetado por um confronto entre tropas do governo e terroristas islâmicos.

Em nota, a FAO afirma que o apoio serve para garantir que as famílias afetadas produzam os seus próprios alimentos, reduzindo a dependência.

500 mil deslocados

A agência da ONU optou por incluir também as famílias que hospedam os deslocados, para aliviar a pressão sobre os seus recursos e alimentos.

A crise no norte de Moçambique intensificou-se nos últimos meses como resultado do conflito, insegurança e violência em Cabo Delgado, provocando mais de 500 mil deslocados internos.

Face à situação, a questão da insegurança alimentar e nutricional é grave numa altura em que as comunidades ainda precisam de se recuperar dos impactos do ciclone Kenneth que afetou a província em abril de 2019.

Reino Unido e Estados Unidos

Pessoas deslocadas aguardando distribuição de ajuda alimentar, PMA/Falume Bachir

Para garantir meios de subsistência acerca de 100 mil pessoas, a FAO já mobilizou cerca de US$ 3,9 milhões doados pelos Governos do Reino Unido, dos Estados Unidos e pelo Fundo Central de Resposta a Emergências das Nações Unidas, Cerf.

O pacote de apoio também inclui uma componente de pecuária, através da distribuição de 20 mil galinhas e assistência técnica de vacinação para beneficiar 5 mil agregados familiares nos distritos que hospedam os deslocados.

Setor agrícola

A FAO está atualmente a implementar projetos em cinco distritos que acolhem as famílias deslocadas, quatro em Cabo Delgado nomeadamente Ancuabe, Chiure, Metuge e Montepuez.  Na Província de Nampula, o projeto restituição dos meios de vida da população afetada decorre no distrito de Meconta.

No âmbito do Plano de Resposta Humanitária 2021 das Nações Unidas em Moçambique, a FAO precisa de US$ 15 milhões para fazer face à situação de emergência em Cabo Delgado e apoiar os deslocados e comunidades anfitriãs que dependem do setor agrícola para sua sobrevivência.