ONU destaca importância de leguminosas para uma dieta e planeta saudáveis

0
632

Tema do Dia Mundial é “Ame leguminosas – por uma dieta e planeta saudáveis”; alimentos são essenciais para enfrentar os desafios da pobreza, segurança alimentar, saúde humana,  qualidade do solo e meio ambiente.

As Nações Unidas marcam esta quarta-feira, 10 de fevereiro, o Dia Mundial das Leguminosas. Esse ano, o tema é “Ame leguminosas – por uma dieta e planeta saudáveis”.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, FAO, a data “é uma oportunidade para aumentar a conscientização sobre os benefícios nutricionais das leguminosas e sua contribuição para sistemas alimentares sustentáveis ​​e um mundo sem fome.”

Eventos

Também conhecido como pulsos, as sementes comestíveis das plantas leguminosas são essenciais para enfrentar os desafios da pobreza, segurança alimentar, saúde humana, qualidade do solo e meio ambiente, contribuindo para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Foto FAO/Marco Salustro
As leguminosas podem contribuir para a mitigação das mudanças climáticas

Em 2018, a Assembleia Geral designou o Dia Mundial das Leguminosas pela primeira vez, após o sucesso do Ano Internacional das Leguminosas marcado em 2016.

Para marcar a data, a FAO organiza um evento na quarta-feira, em Nova Iorque, com a sua vice-diretora-geral, Beth Bechdol, o presidente do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas, Munir Akram, e representantes permanentes de Burkina Faso, Guiana e Malaui, entre outros.

Na sexta-feira, 12 de fevereiro, a agência realiza um evento global com participação do diretor-geral da FAO, Qu Dongyu, a primeira-dama da Argentina, Fabiola Yáñez, ministros da agricultura da Índia, Narendra Singh Tomar, e França, Julien Denormandie.

Alimentação

Legumes como grão-de-bico, base de pratos típicos do Mediterrâneo como os húmus, o tipo de feijão usado no café-da-manhã inglês e as lentilhas e ervilhas da Índia são alguns dos grãos destacados pela FAO como fundamentais na promoção da segurança alimentar de muitos países.

A agência lembra que esses legumes não incluem os feijões verdes e as ervilhas que são classificados de vegetais. As leguminosas também excluem a soja e nozes que são utilizadas para extração de óleo.

Segundo a FAO, leguminosas são fundamentais na promoção da biodiversidade do solo e têm valor nutritivo, sendo fonte de proteína principalmente onde os derivados de leite e carne não são acessíveis para toda a população.

Esses legumes também são ricos em fibra e baixos em colesterol, além de ajudar a controlar os níveis de açúcar.

Devido a essas qualidades, são recomendadas por profissionais de saúde para o tratamento de doenças não transmissíveis, como diabetes e problemas cardíacos. Também foi comprovado que ajudam a combater a obesidade.

Foto: FAO/Giuseppe Bizzarri
As leguminosas são naturalmente isentas de glúten. Isso as torna uma opção ideal para celíacos.

Agricultura

Para os agricultores, as leguminosas são importantes porque, além de serem comercializadas, podem ser consumidas, mantendo a segurança alimentar de suas famílias e estabilidade econômica.

Elas também aumentam a produtividade das terras agrícolas por causa das propriedades do nitrogênio, que mantém afastadas pragas e outras doenças.

Outra qualidade é que leguminosas contribuem para a mitigação das mudanças climáticas, reduzindo a dependência de fertilizantes sintéticos, que são usados ​​para introduzir nitrogênio artificialmente no solo.

Os gases que causam o efeito estufa são liberados durante a fabricação e aplicação desses fertilizantes e seu uso excessivo pode ser prejudicial ao meio ambiente.