Carruagem cerimonial romana é descoberta perto de Pompeia na Itália

0
269

O parque arqueológico de Pompeia anunciou neste sábado a descoberta de um grande carruagem cerimonial, encontrada em excelente estado, poucas centenas de metros ao norte do famoso sítio cultural italiano.

“Uma grande carro cerimonial de quatro rodas, com seus elementos de ferro, bonitas decorações de bronze e estanho, restos de madeira mineralizada, digitais de elementos orgânicos (até mesmo cordas e restos de decorações de plantas), foi encontrado quase intacto”, afirma um comunicado divulgado pela direção do parque arqueológico.

A carruagem foi descoberta diante de um estábulo onde, em 2018, foram encontrados os restos de três equídeos, lembra o comunicado.

A descoberta aconteceu na Civita Giuliana, um bairro a a centenas de metros ao norte do parque arqueológico de Pompeia. A localização ocorreu em meio à luta contra ladrões de tumbas, especialmente concentrados nesta região da Itália, repleta de tesouros arqueológicos que ainda não foram descobertos.

“Pompeia segue nos assombrando com suas descobertas e assim será durante muitos anos, com outros 20 hectares que serão escavados”, disse o ministro da Cultura, Dario Franceschini, citado em um comunicado de sua pasta.

“Trata-se de uma descoberta extraordinária para o conhecimento do mundo antigo. No passado encontramos em Pompeia veículos de transporte (…), duas carruagens (…) mas nada parecido com o carro de Civita Giuliana”, celebrou o diretor do parque arqueológico, Massimo Osanna.

“É uma carruagem de cerimônia (…) não se utilizava para a vida cotidiana nem para o transporte agrícola, e sim para acompanhar os momentos festivos da comunidade, os desfiles e as procissões”, garantiu o especialista.

Assim como a maioria dos sítios culturais italianos, Pompeia, sepultada por uma erupção do Vesúvio no ano 79 D.C., permaneceu fechada nos últimos meses por causa da pandemia de covid-19 e só abriu suas portas em 18 de janeiro.

Em 2019, o lugar recebeu mais de 3,9 milhões de visitantes, o que o torna o terceiro local mais visitado da Itália, depois do Coliseu de Roma e do museu dos Uffizi em Florença.

ljm/ia/mab/me/gf

Por AFP